Angola aposta na busca de investimento para rochas ornamentais

Angola vai continuar a apostar na busca de investimento privado nacional e estrangeiro, para fazer das províncias da Huíla e Namibe um centro de excelência na exploração e transformação de rochas ornamentais, afirmou hoje, em Verona (Itália), o secretário de Estado para Geologia e Minas, Jânio Victor.

O dirigente falava durante uma visita de trabalho ao stand institucional de Angola na Feira Marmoc, que decorre na Itália.
Lembrou que Angola tem produtos ímpares para levar ao conhecimento do mundo, tendo apelado aos empresários a investirem no sector com a instalação de fábricas de processamento, maquinaria para extracção e insumos.

“Queremos ver, doravante, em Angola e no mundo subprodutos acabados elaborados com nossas rochas”, augurou o secretário de Estado, quando falava à imprensa depois de visitar a feira, que mostra o melhor do que há em termos de rochas no mundo.

Além de explicar o novo ambiente de negócios em Angola, as potencialidades geológicas e apelar ao investimento, o responsável percorreu igualmente exposições institucionais como a do Brasil, que juntou produtores e processadores de rochas ornamentais em um único pavilhão, dando uma ideia de conjunto.

No período da tarde, reuniu-se com empresários angolanos, com as UTE (União Temporária de Empresas), um consórcio envolvido no Planageo, bem com recebeu no stand de Angola vários potenciais investidores.

Nesta sexta-feira, Jânio Victor vai participar da reunião da Assembleia Geral da Euroroc (Associação Europeia de Operadores de Rochas Ornamentais), onde vai falar sobre as potencialidades geológicas de Angola, o novo ambiente de negócios no domínio de recursos minerais e petróleo.

Durante a visita do secretário de Estado à feira, a empresa Silva & Silva, uma das expositoras angolanas, mostrou-se disponível em fornecer ao Novo Aeroporto Internacional de Luanda (NAIL) cerca de 200 mil metros quadrados de produtos acabados de mármore e granito, possuindo já uma fábrica de transformação de rochas ornamentais no Namibe.
Do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo (MIREMPET), a empresa precisa de mais concessões e nesta feira veio buscar parcerias para ver os equipamentos e insumos.

“O País possui variedades raras que poderão ser vistas no NAIL, segundo Manuel Silva, administrador da empresa.
Até ao momento mais de dez mil visitantes, entre curiosos e empresários, passaram pelo stand de Angola. A feira, que acontece anualmente, termina neste sábado.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com