Angola com 73 locomotivas comissionadas já em operação

As novas locomotivas da GE comissionadas em Angola permitirão o Transporte a pessoas e bens para regiões rurais, dando assim um novo quadro a zonas desfavorecidas.

De acordo com o McKinsey Global Institute, África enfrentou condições muito desafiadoras nos últimos anos, mas, apesar disso, o continente continua o processo tendente à diversificação das suas economias. Reforçando as perspectivas geralmente positivas para o crescimento económico está o contínuo aumento verificado do investimento nas infra-estruturas, que duplicou na última década.

O Banco Mundial, afirma que há uma necessidade crítica de investir nas infra-estruturas para a criação de empregos e um sustentável crescimento económico, particularmente para as economias emergentes a fim de realizarem as suas compreensíveis aspirações. O acordo assinado em março de 2015 entre a Aenergy e a GE, para a entrega de 100 locomotivas GE C30ACi, a Angola, é extremamente vital para o avanço do desenvolvimento do país.

Com 79 locomotivas entregues actualmente, um total de 73 já foram comissionadas e colocadas em operação, à medida que Angola começa a concentrar-se na diversificação da sua economia.

As locomotivas estão a ser comissionadas para oferecerem uma panóplia de serviços tais como, o transporte de passageiros, transporte de gás butano para as áreas mais remotas e vagões com minerais mistos para países vizinhos que agora poderão beneficiar deste meio de transporte ao curto e longo prazo para promover o desenvolvimento regional.
As novas unidades C30ACI apoiam a reabertura das exportações de manganês da República Democrática do Congo através do Corredor do Lobito, ao mesmo tempo que permitem o transporte de diversos minerais tais como o quartzo, mármore e o ferro.

Mais importante ainda, a linha ferrovia permite igualmente o transporte de grandes quantidades de carga, o que resultará em menores custos de transporte para os produtos básicos. Tal, por sua vez, permitirá um ajuste positivo no comércio geral que visa a beneficiar os consumidores.
As locomotivas também transportam os passageiros de forma mais segura e barata, possibilitando um meio de transporte mais eficiente e constante.

Espera-se que a indústria mineira encoraje a compra de vagões e aumente a demanda dos países vizinhos ansiosos por usar as linhas de Angola. Isto provavelmente resultará em todas as 100 locomotivas a serem utilizadas em todo o território nacional.

“Se considerarmos que apenas a linha ferroviária CFB empregou até 14.000 pessoas quando suas operações começaram em 1973, podemos começar a vislumbrar o impacto que nossas locomotivas C30ACi podem ter no desenvolvimento de empregos e capacitação de técnicos Angolanos “, disse o Director Técnico da GE Transportation em Angola Valter Sousa.

“para o país poder colher os benefícios do transporte ferroviário e todos os efeitos colaterais positivos, o governo e o sector privado precisam apoiar estes esforços. Alguns desses esforços estão a começar serem desenvolvidos nesta fase e, assim, o futuro da indústria ferroviária tornar-se- à promissora de uma nova era em Angola.”, avançou Nuno Ramos, Director de Transporte e Mineração da empresa Aenergy.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com