Combates no Iémen fazem 84 mortos após fracasso de negociações

Onze combatentes das forças pró-governamentais e 73 rebeldes Huthis foram mortos no Iémen em novos combates nas imediações de Hodeida, após o fracasso de negociações que estavam previstas em Genebra, indicaram hoje fontes médicas e hospitalares

Este balanço é relativo a combates considerados “violentos” em torno da cidade de Hodeida nas últimas 24 horas.

Segundo as mesmas fontes, registaram-se ainda 17 feridos nas forças pró-governamentais e “dezenas” nas fileiras rebeldes.

As forças pró-governamentais conseguiram atingir a principal estrada que liga Hodeida à capital, Sanaa, e a outras províncias, de acordo com responsáveis militares iemenitas.

A aviação da coligação liderada pelos sauditas, que combate os rebeldes, lançou vários ataques na referida estrada.

Hodeida e outras regiões do norte do Iémen são controladas desde finais de 2014 pelo Huthis, que são apoiados pelo Irão.

A ONU não conseguiu reunir o governo e os rebeldes iemenitas em negociações que deviam começar em Genebra na quinta-feira, reconhecendo o fracasso do diálogo no sábado.

A guerra no Iémen opõe as forças pró-governamentais, apoiadas pela coligação liderada pela Arábia Saudita, aos rebeldes xiitas Huthis, ajudados pelo Irão e que ocuparam em 2014 e 2015 vastas regiões do país, incluindo a capital Sanaa. O conflito já causou cerca de 10 mil mortos, na maioria civis e provocou a pior crise humanitária do mundo, segundo a ONU.

 

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com