Fórum de empresários analisa novo paradigma de cooperação

A cidade de Pequim acolhe hoje o primeiro de dois fóruns empresariais Angola-China e duas conferências técnicas em universidades chinesas no âmbito da cooperação entre os dois países.

Até ao dia 16 do mês em curso, empresários dos dois países debatem um novo paradigma de intercâmbio definido pelos Presidentes João Lourenço, de Angola, e Xi Jinping, da China.
O fórum de hoje em Pequim vai juntar bancos, empresas e investidores públicos e privados dos dois países. O segundo fórum acontece na província de Xangai e reúne empresários angolanos e de regiões como Hong Kong. O objectivo, segundo Arnaldo Calado, presidente da Câmara de Comércio Angola-China, é trazer para Angola os melhores empresários da China.

“Queremos, não como paradigma do Governo anterior, que os financiamentos e investimentos sejam direccionados para acções concretas”, disse à imprensa.
Ontem, empresários angolanos começaram a chegar a Pequim para participar nos encontros. Da parte chinesa estão confirmados 400 empresários. Os angolanos ainda não estão quantificados, porque, segundo Arnaldo Calado, chegam à capital chinesa através de várias rotas aéreas por falta de voos directos entre os dois países.

Os encontros, segundo Arnaldo Calado, acontecem no quadro do novo paradigma de cooperação empresarial aprovado pelos Chefes de Estados dos dois países. “Vamos apresentar o tipo de projectos que são prioridades do Estado angolano. Os encontros vão tratar dos investimentos de pequenos, médios e grandes investidores”, disse. Nas conferências com universidades chinesas serão abordadas a transmissão de conhecimentos sobre o avanço das tecnologias que a China alcançou, para ver a possibilidade de as repassar a jovens angolanos, segundo o empresário.

Arnaldo Calado indicou que vai ser discutido um novo pacote de bolsas de estudos para jovens angolanos serem formados na China noutras áreas, além da agro-pecuária que tem naquele país 29 bolseiros em formação. “Vamos aumentar o número de bolseiros que cada empresário pode assumir no âmbito da cooperação bilateral e, depois, levarmos ao Instituto Angolano de Bolsas de Estudo e notificar a Embaixada em Pequim, porque estes bolseiros, embora venham em nome de empresários individuais, não deixam de ser angolanos que vão estudar aqui para ajudar a crescer o país”, disse.

Arnaldo Calado indicou que, para melhoria do ambiente de negócios, o encontro entre o Presidente João Lourenço e o homólogo Xi Jinping foi determinante, porque “conseguiu abrir uma nova rota para o investimento chinês em Angola”.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com