Inflação continua a descer e foi de 18,56% em Agosto

 A inflação voltou a descer em Agosto, mas o custo de vida continua a subir a um ritmo elevado.

Em Agosto a inflação homóloga, que compara o andamento dos preços num mês de determinado ano com o mesmo mês do ano anterior, ficou em 18,56%, confirmando o abrandamento na subida do custo de vida, revelou ontem o instituto nacional de Estatística (INE) no seu relatório mensal sobre o índice de preços no consumidor.

Segundo o INE, os bens que mais contribuíram para a taxa de variação do índice de preços no consumidor nacional (IPCN), por classes de consumo, mostra que das doze classes, oito (8) apresentam taxas superiores a 0,1 pontos percentuais. O destaque vai para a alimentação e bebidas não alcoólicas, bebidas alcoólicas e tabaco, vestuário e calçado, habitação, água, electricidade e combustíveis, e ainda mobiliário, equipamento doméstico e manutenção, saúde, transportes e comunicações.

A províncias onde os preços subiram mais foram a do Bengo com 1,82% de variação mensal, do Cuanza Sul com 1,75%, de Malanje com 1,68% e do Uíge com 1,59%. As províncias com menor variação foram a Lunda-Sul com 0,70%, o Namibe com 0,79%, Cabinda com 0,90% e a Huíla com 0,94%.

Numa perspectiva mais detalhada refira-se que, em Agosto de 2018, 24 dos produtos seleccionados do cabaz do INE com maior contribuição para a taxa de variação do IPCN representam, no seu conjunto, cerca de 7% do total, mas concentram cerca de 41,29 % da taxa global de variação do índice no período em análise.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com