Instituições portuguesas formam mais de 650 professores angolanos

Mais de 650 professores angolanos estão a ser capacitados em Luanda pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Escola Superior Pedagógica de Setúbal

Mais de 650 professores angolanos estão a ser capacitados em Luanda pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Escola Superior Pedagógica de Setúbal no âmbito da terceira fase do Projeto de Aprendizagem para Todos (PAT), que as duas instituições portuguesas promovem desde 2016.

A informação foi transmitida esta segunda-feira pelo secretário de Estado para o Ensino Técnico Profissional de Angola, Jesus Batista, quando discursava na abertura deste ciclo de formação contínua aos professores.

De acordo com o governante, a “existência de professores qualificados para o competente exercício da função docente” passa pela “aposta na sua formação, de modo a que realmente existam mudanças na sala de aula e, consequentemente, na qualidade de ensino”.

Segundo Jesus Batista, desde Outubro de 2016, que o ministério da Educação de Angola trabalha em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian e o apoio técnico-metodológico da Escola Superior Pedagógica de Setúbal no desenvolvimento e implementação do PAT.

“O quadro actual em que vivemos exige do professor níveis crescentes de competência e profissionalismo, formação que auxilia o auxilia a reflectir sobre as suas práticas como verdadeiros profissionais da acção docente”, indicou.

Mas, observou, “acima de tudo, formação para dar segurança aos profissionais que encetam o processo de mudança de modo a que possam conscientemente sustentar as inovações que ele implica”.

“Assim, hoje, presenciar a abertura da 3.ª fase de formação para qual foram seleccionados criteriosamente formadores das escolas de magistérios para serem capacitados sobre os modos de diferenciação pedagógica volume II e Educação Especial”, concluiu.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com