Ministra do Turismo define principal desafio do sector

A transformação do turismo numa ferramenta dinâmica no contexto da diversificação da economia e de criação de postos de trabalho foi definida como o principal desafio do sector pela titular do pelouro ontem, em Moçâmedes.

Ângela Bragança, que falava no encerramento do Fórum Regional da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando Cubango realizado ontem para assinalar o Dia Mundial do Turismo, solicitou aos operadores esforços para a adopção do que chamou  de “a comercialização do turismo”, o que inclui a valorização do artesanato, serviços de restauração, campismo e outros produtos.

A ministra considerou que a comemoração do Dia Mundial do Turismo representa, este ano, uma jornada de exortação às autoridades e á população quanto aos pontos fortes, fracos, oportunidades e perspectivas do sector, sobretudo agora, quando os avanços tecnológicos e a inovação ganham espaço e revolucionam a maneira de operar.
“Não são necessárias, apenas novas ferramentas, mas também novas capacidades e formas de pensar”, disse. “Desta perspectiva, sobressai a necessidade de actuarmos com visão estratégica, dinamismo, eficiência e de forma coordenada, consertada e focada nos resultados”.

A ministra disse ainda que se devem utilizar novas ferramentas para aproximar mais os turistas, motivá-los a visitar os pontos turísticos, conhecer a cultura angolana e o seu povo, declarando que a sua participação no encontro permitiu obter mais confiança e determinação quanto às acções necessárias para elevar o desempenho do sector.

Anunciou a realização, ainda este ano, da primeira reunião do Conselho Nacional de Facilitação do Turismo e da segunda da Comissão Multissectorial que vai produzir a base para corrigir os erros, alinhar as perspectivas e direccionar a actividade para resultados palpáveis em 2019.
A importância do turismo, lembrou, tem sido repetidamente abordada pelo Presidente da República nas suas intervenções, o que teve realce no discurso pronunciado no Fórum Empresarial com o sector privado nos Estados Unidos. />
Transformação digital
Durante o Fórum Regional, que decorreu sob o lema “Turismo e a transformação digital”, o representante do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Miguel Cazevo, destacou o turismo como um dos sectores que mais cresce a nível do mundo e que mais receitas financeiras tem gerado para muitos países, atribuindo esse desempenho ao desenvolvimento das tecnologias.
“É uma realidade do mundo e Angola não foge à regra: o turista de hoje, quando pensa em visitar um local, visita primeiro a Internet para saber quais são as condições existentes para a satisfação dos seus desejos”, referiu, solicitando que os agentes e servidores do ramo do turismo disponibilizem o máximo de informação possível nas redes sociais sobre as potencialidades da sua região e os serviços que prestam.
A directora do Gabinete de Intercâmbio do Ministério do Turismo, Rosa Cruz, apresentou uma comunicação da Organização Mundial do Turismo que realça que, este ano, o Dia Mundial do Turismo centra-se na necessidade de investir em tecnologias digitais revolucionárias que ajudem a criar um ambiente para a inovação e empreendedorismo no turismo.
Aquela organização das Nações Unidas considera que a magnitude do sector do turismo em todo o mundo e o seu impacto em muitos outros sectores coloca-o na primeira linha da responsabilidade social.
No fórum, foram abordados os temas “Ecoturismo: a biodiversidade e a protecção, preservação e conservação dos parques nacionais e áreas de  observação”, “Turismo étnico e cultural, reflexão sobre o mosaico etnográfico das províncias do sudoeste de Angola” e “O papel e importância das associações profissionais no desenvolvimento do turismo sustentável regional”.</br

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com