Morreu Samir Amin, um dos gurus da teoria da dependência económica

Foi um dos mais influentes pensadores do "subdesenvolvimento"

Faleceu uma das figuras mais influentes na teorização da teoria da dependência do designado “Terceiro Mundo”,, que troca matérias-primas por produtos tecnologicamente sofisticados: o economista egípcio Samir Amin mostrou, através da sua teoria do “centro” e da “periferia” como a troca de valor entre países desenvolvidos e não desenvolvimentos se processava em termos desiguais, favorecendo os primeiros e condenando os segundos ao “subdesenvolvimento”.
Amin morreu no domingo, num hospital de Paris, para onde foi transferido, em 31 de Julho, da sua residência em Dacar, onde foi professor universitário.
O Presidente senegalês afirmou, em mensagem colocada na sua conta na rede social Twitter, que Amin “consagrou toda a sua vida ao combate pela dignidade de África, à causa das pessoas e dos mais desfavorecidos”.
Acrescentou que, “com o desaparecimento do professor Samir Amin, o pensamento económico contemporâneo perde uma das suas figuras mais ilustres”, terminando com a apresentação de “condolências em nome de todo o país”.
O economista senegalês Chérif Salif Sy, por sua parte, escreveu na rede social LinkedIn que Amin faleceu “depois de um breve período de perda de memória provocado por um tumor no cérebro e de sofrimento”, sublinhando que “o mundo perdeu um grande pensador e militante”.
Amin foi um dos intelectuais mais reconhecidos do movimento crítico dos termos actuais da globalização, tendo publicado diversos ensaios sobre as relações de dominação entre o norte e o sul.
Este teórico das designadas relações Norte-Sul, do marxismo e do maoismo, ícone do movimento defensor de uma outra globalização, dirigiu o Fórum do Terceiro Mundo e o Fórum Mundial para as Alternativas.
No conjunto da sua obra avultam os escritos sobre o direito, a sociedade civil, o socialismo, o colonialismo e o desenvolvimento, particularmente em África e no mundo árabe.
Em 2001, Amin e outros intelectuais do movimento contra a globalização, como o galego Ignacio Ramonet, ex-director do Le Monde Diplomatique, juntaram-se a líderes políticos, como o então presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010), para organizar a primeira reunião do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, no Brasil.
Nascido no Cairo em 1931, formado em Paris nos anos 1950, Samir Amin trabalhou entre 1957 e 1960 na administração egípcia do desenvolvimento económico, depois no governo do Mali, após o que foi nomeado professor nas universidades francesas de Poitiers e Vincennes, bem como em Dacar.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com