Prédios da Segurança Social vão tornar-se casas de preço acessível

Rendas de casas da Segurança Social vão oscilar entre os 150 e os 600 euros, mediante a tipologia.

 

A Câmara de Lisboa vai celebrar um protocolo com a Segurança Social, esta segunda-feira, para destinar o património desta entidade na capital ao arrendamento acessível. Os valores dos imóveis vão oscilar entre os 150 e os 600 euros, para apartamentos mas também quartos para estudantes.

A iniciativa, anunciada em abril, será formalizada esta segunda-feira com a assinatura de um memorando entre o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, e a Câmara Municipal de Lisboa (CML), de acordo com a nota de agenda da tutela à qual o Notícias ao Minuto teve acesso.

Em causa estão imóveis em “zonas nobres da cidade”, como as avenidas Estados Unidos da América, da República, e áreas como Entrecampos, onde existem dez prédios da Segurança Social, segundo anunciou o presidente da CML na altura.

O financiamento será suportado pelo município, “num valor que está estimado (…) em 17 milhões de euros” para as obras e o objetivo é que as primeiras casas ou quartos estejam disponíveis no próximo ano, estimou o autarca.

O memorando surge no âmbito do Programa Renda Acessível, apresentado em abril de 2016, que prevê parcerias do município com o setor privado: enquanto o primeiro disponibiliza terrenos e edifícios que são sua propriedade, ao segundo cabe construir ou reabilitar.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com