Ronaldo utilizou dois paraísos fiscais para gerir os seus hotéis

Ronaldo utilizou uma estrutura ‘offshore’ para proteger os seus hotéis. Desde junho de 2015, o futebolista operou através de um ‘holding’ empresarial no Luxemburgo e em New Jersey, ambos os territórios considerados paraísos fiscais pelo Tax Justice Network.

 

A vida de Cristiano Ronaldo fora dos relvados continua complicada. Neste momento, o internacional português está a ser acusado de defraudar o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros entre 2011 e 2014.

Todavia, esta sexta-feira, surgem novas acusações, segundo novos documentos revelados pelo Football Leaks, obtidos pelo Der Spiegel e analisados pelo jornal El Mundo. Ronaldo terá utilizado uma offshore para proteger os seus hotéis.

Desde junho de 2015, o futebolista operou através de uma ‘holding’ empresarial no Luxemburgo e em New Jersey, ambos os territórios considerados paraísos fiscais pelo Tax Justice Network.

A empresa luxemburguesa CRS Holding encarregava-se de administrar as participações do Ronaldo numa série de negócios turísticos propriedade do ‘trust’ adjudicado na ilha do Canal da Mancha, denominado The CRS Holding Trust.

Cristiano Ronaldo não aparece em nenhum documento público dessas sociedades. Tanto a ‘holding’ como o fiador estão em nome de uma empresa intermediária chamada Private Trustees. Mas um dos dos documentos do Football Leaks analisados, numa declaração de acionistas da Private Trustees, permite comprovar que o único beneficiário deste esquema era o jogador.

Na gestão de negócios publicitários, operar através de uma chamada ‘offshore’ deste tipo não é ilegal sempre e quando se informe devidamente as autoridades fiscais. No caso agora investigado, referente aos direitos de imagem, Ronaldo desviou 150 milhões de euros para as Ilhas Virgens Britânicas e só declarou 22,7 milhões, uma quantidade insuficente de acordo com as Finanças.

No caso dos negócios hoteleiros, faz parte da responsabilidade da Agência Tributária comprovar se cada ano desde 2015, o futebolista português tributou como devia. Contactado pelo Der Spiegel, Ronaldo preferiu não fazer comentários a respeito desta notícia.

 

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com