“Sucesso das economias asiáticas não vai estar disponível” para África

O economista Joseph Stiglitz considera que é ingénuo acreditar que o continente africano vai passar pelo mesmo ‘milagre económico’ que a Ásia, argumentando que os pressupostos do crescimento dos tigres asiáticos não estão disponíveis em África.

“O modelo que foi a base do sucesso das economias asiáticas não vai estar disponível, de futuro, na mesma medida para África, disse o Nobel da Economia durante uma conferência, este fim de semana em Helsínquia.

“Toda a gente quer imitar o que eles fizeram e esperar que tenham os mesmos resultados, mas hoje é diferente, os pressupostos já não funcionam da mesma maneira”, disse o economista norte-americano, citado pela agência de informação financeira Bloomberg.

Stiglitz disse que a razão para esta impossibilidade tem a ver com a dinâmica que alimenta a economia mundial, já que o crescimento da produtividade está a suplantar o crescimento pela procura, o que significa que o potencial para a criação de empregos é limitado.

“Todas estas pessoas na manufaturação vão ter de ser transferidas para outro local nas suas economias”, argumentou, acrescentando que “o aumento da automatização da produção significa que as pessoas nos países em desenvolvimento, onde os custos de mão de obra são geralmente mais baixos, estão a beneficiar menos do crescimento dos sectores da manufaturação”.

Stiglitz, que recebeu o Prémio Nobel da Economia em 2011 pelo seu trabalho de análise dos mercados com informação assimétrica, tem sido uma das vozes mais fortes contra a desigualdade, argumentando que o crescimento e a igualdade deviam ser “complementares e não substitutos”.

África precisa de um modelo económico que contenha “elementos de manufaturação, agricultura, recursos e serviços”, defendeu, concluindo que “se isso for bem feito, os africanos podem ter um sucesso comparável a um crescimento liderado pela exportação da produção”.

Artigos relacionados

DESTAQUE OPINIÃO

OS TROCOS MAIS SUJOS QUE A ELITE “DOS SANTOS” DEIXOU PARA ANGOLA

Actualmente falar de Angola no contexto político, económico e social, tornaram-se “cláusulas” cada vez mais desconfortantes atendendo a porção de pancadas a que este povo é submetido constantemente e que no fim do dia não sabe onde mais se segurar, uma vez que a policia não está na rua para oferecer chocolates nem rebuçados!

Ler mais »

© All rights reserved

Made with ❤ by rotasweb.com